• Home
  • Sobre Nós
  • Dicas
  • Portfólio
  • Vagas
  • Contato
  • Faq
Dicas

1-Saiba como entrevistador pode desmascarar mentiras nos currículos
Saiba como entrevistador pode desmascarar mentiras no currículos A maioria das mentiras que os candidatos colocam no currículo pode ser descoberta pelos selecionadores durante a entrevista de emprego, dizem especialistas. Os recrutadores lançam mão de estratégias de recursos humanos para desmascarar falsos dados e garantem que, quando pegos, os mentirosos são eliminados imediatamente, já que não transmitem confiança. Entre as principais mentiras colocadas no currículo estão aumentar o nível de conhecimento de um idioma estrangeiro, colocar uma formação acadêmica incompleta como concluída, mudar as características pessoais por meio de autoelogios, aumentar o tempo de permanência em uma empresa ou cargo e até trocar o motivo da saída do emprego anterior. Há também candidatos que mudam a pretensão salarial ou o último salário para tentar adequá-lo ao que acham que o empregador poderá pagar. A idade, o estado civil e até o endereço podem ser forjados, pois candidatos querem parecer morar mais perto da empresa para aumentar as chances.

"Entrevista por competências"

Para grande parte dessas alterações os especialistas da área de recursos humanos têm uma forma de pegar o candidato no flagra. Uma delas é a chamada entrevista por competências, diz Matilde Berna, diretora de transição e gestão de carreiras da Right Management. Nessa forma de entrevista, o selecionador pergunta ao candidato sobre situações reais vividas por ele para saber como agiu em determinadas situações. Com isso, é possível descobrir detalhes de cargos anteriores ou até mesmo características pessoais do profissional, explica Matilde. “O candidato que não passou por determinadas situações vai falar de forma genérica, sem dar detalhes”, afirma Renato Grinberg, diretor da Trabalhando.com.br. Matilde destaca que há outra forma de entrevista, a investigativa. Nessa modalidade, o selecionador pede ao candidato que conte como agiria em situações hipotéticas, o que ajuda a descobrir as características pessoais de cada um. A vice-presidente da Catho Consultoria em RH, Silvana Case, revela que é possível ainda fazer perguntas-chave ao candidato sobre seu passado. Para saber se uma formação acadêmica é verdadeira, por exemplo, é possível pedir que o entrevistado cite a disciplina preferida, o nome de um bom professor ou até mesmo o ano e a turma da formatura. “A pessoa que não sabe, trava, demora para responder, a não ser que ela seja muito bem treinada”, diz. Os selecionadores podem, ainda, fazer alguma ação real durante a entrevista, como pedir para mudar de sala, com o intuito de testar a reação do candidato e ver se ele age como diz ser. Por exemplo, um candidato que afirma ser flexível não faria ressalvas em mudar de sala; um mais resistente, poderia questionar o motivo. Silvana diz que o nível de idioma é um dos mais fáceis de serem testados, por meio de uma conversa com o candidato na qual são avaliados os conhecimentos da outra língua. “Mesmo quando o selecionador não conhece o idioma, ele pode pedir para o candidato falar um pouco na outra língua sem avisar que não sabe. Quem mentiu encontra alguma desculpa antes de começar a falar.”

Após a entrevista

Mesmo quando os candidatos conseguem enganar o selecionador durante a entrevista, as empresas podem tirar dúvidas por meio de outras práticas. O tempo na empresa, cargo e salário, por exemplo, podem ser checados na própria carteira de trabalho ou até mesmo por meio de um telefonema ao antigo empregador. A ligação também consegue sanar a dúvida do motivo da saída do emprego anterior.

Mentir é pior

Profissionais de RH afirmam que a mentira no processo seletivo é fator de eliminação assim que descoberta. Grinberg, da Trabalhando.com.br, revela que já deixou de escolher uma candidata por conta de uma mentira. No caso, a mulher aumentou o cargo que ocupava na empresa anterior. Ao telefonar para a empresa para confirmar a informação, o especialista disse ter sido surpreendido com a verdade. “Ela seria escolhida caso não tivesse mentido, mas não dá para relevar um fator como esse”, diz. A consultora da Luandre Soluções em Recursos Humanos, Walquiria Ferreira, diz que medos e inseguranças são os fatores que fazem alguns profissionais optarem pela mentira, até mesmo como um mecanismo de proteção. “No ambiente corporativo, a mentira tornou-se algo freqüente. O profissionais a utilizam como meio de autopromoção, mas não pensam que a descoberta trará consequências mais cedo ou mais tarde”, argumenta. Por isso, Walquiria sugere que sempre seja dita a verdade. “A confiança é a base de qualquer relação, inclusive a profissional;

Gabriela Gasparin do G1, em São Paulo

FONTE: http://g1.globo.com/concursos-e-emprego/noticia/2010/08/saiba-como-entrevistador-pode-desmascarar-mentiras-no-curriculo.html  
2-Evite gestos errados ao falar
Usei de propósito "errados "no título com a intenção de mudar o adjetivo para desaconselháveis logo no princípio. Estou sugerindo o uso de desaconselháveis porque não existe nada tão errado em comunicação que não possa ser feito em certas circunstâncias.

É comum ouvir pessoas censurando o comportamento de alguns oradores como se houvessem cometido o pior de todos os erros: Polito, assisti a uma palestra com um consultor que não sabia se apresentar. Virava e mexia e ele punha a mão no bolso.

Em alguns casos ocorreu de eu conhecer o palestrante que estava sendo criticado e saber que ele era muito bom comunicador. Como, entretanto, alguns aprendem regrinhas de conduta e se moldam totalmente a elas, caem no exagero de achar que qualquer comportamento fora do padrão determinado constitui erro. Por isso, nada de levar regrinhas ao pé da letra. Saiba que, embora algumas atitudes sejam desaconselháveis, em certas situações, dependendo do ambiente e das características de quem as utiliza, poderão até ser recomendáveis.

Considerando essa relatividade das regras, de maneira geral, não fale com as mãos nos bolsos, nas costas, com os braços cruzados, apoiados por muito tempo sobre a mesa, a tribuna ou a haste do microfone. Evite gesticular com as mãos abaixo da cintura ou acima da cabeça. Tome cuidado com a postura. Às vezes podemos nos sentir intimidados pelo tipo de público que iremos enfrentar e acabamos por nos apresentar com a cabeça baixa, corpo curvado, demonstrando excesso de humildade e com atitude perdedora, de alguém fracassado. Por outro lado, corremos o risco de subestimar os ouvintes e, por isso, nos apresentarmos com a cabeça levantada, olhando por cima da platéia, numa atitude que pode aparentar arrogância e prepotência.

Outro comportamento que pode comprometer a qualidade da apresentação é o fato de o orador se movimentar diante do público, de um lado para outro, sem objetivo, de maneira desordenada. Ao se posicionar, procure não ficar apoiado apenas sobre uma das pernas, muito menos trocar com freqüência a posição de apoio, ficando ora sobre uma, ora sobre outra. Não abra ou feche demasiadamente as pernas, pois a primeira posição poderá tirar sua elegância e esta última prejudicar seu equilíbrio e deixá-lo com a postura muito rígida.

Fique atento para os movimentos involuntários que podem desviar a atenção dos ouvintes, como, por exemplo, coçar a cabeça, segurar a gola da blusa ou do paletó, mexer na aliança, na pulseira, brincar com objetos como o fio do microfone, o laser pointer, a caneta, o lápis e outras atitudes que possam tirar a concentração das pessoas.

E, para finalizar a relação das atitudes desaconselháveis, deixei por último o conselho que considero mais importante: os dois erros mais comuns na gesticulação são a falta e o excesso de gestos. Como os gestos são importantes para ajudar na comunicação da mensagem, a sua ausência pode prejudicar a qualidade da comunicação. Por outro lado, o excesso de gestos pode desviar a atenção, dificultando a compreensão das informações. Todavia, é preferível você não fazer nenhum gesto a se apresentar com gesticulação exagerada.

Se você não fizer gestos, mas apresentar uma boa mensagem, os ouvintes ainda conseguirão acompanhar seu raciocínio. Se, entretanto, você exagerar com os movimentos, dificilmente as pessoas poderão se concentrar nas suas palavras. Esses são os cuidados mais importantes para que você possa evitar gestos que podem prejudicar suas apresentações.

Lembre-se, entretanto, do que eu disse no início: não existe nada tão errado em comunicação que não possa ser feito em certas circunstâncias.

SUPERDICAS DA SEMANA:

. Evite a falta e o excesso de gesticulação
. Entre as duas atitudes desaconselháveis prefira a falta ao excesso
. Alguns gestos desaconselháveis podem ser usados em certas circunstâncias
. Você pode se movimentar em frente dos ouvintes com objetivos definidos

Reinaldo Polito
Mestre em Ciências da Comunicação, palestrante e professor de expressão verbal. Escreveu 15 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares .

Site: www.reinaldopolito.com.br  
3-Como se comportar numa entrevista de emprego?
Conseguir um emprego não é uma tarefa fácil. A demanda é, sempre, muito maior do que a oferta, ou seja, que há muito mais gente procurando emprego do que oferecendo vagas. Assim, é preciso ter em conta que as empresas exigem cada vez mais dos candidatos.

Vale lembrar que nem sempre o candidato com maiores qualificações profissionais é o mais procurado para assumir um dterminado cargo. O comportamento conta muito, principalmente na hora da entrevista. Confira algumas dicas de como se comportar durante uma entrevista de emprego:

. Horário: pontualidade é essencial. Chegue sempre com 15 minutos de antecedência ao horário marcado para a entrevista. Seja discreto na sala de espera. Cuidado com o tom de voz. Não fale alto e seja educado ao se apresentar na recepção.

. Tranqüilidade: mantenha-se calmo. Não demonstre medo e procure não gaguejar nem se enrolar com as palavras. Saiba ouvir e limite-se a responder apenas o que lhe foi perguntado.

. Cumprimento: ao cumprimentar, olhe nos olhos do entrevistador. Não use força demais ou de menos no aperto de mão.

. Apresentação: vista-se com roupas discretas e de cores sóbrias. Não use óculos escuros. As unhas devem estar cortadas e os cabelos penteados. As mulheres devem tomar cuidado para não abusar da maquiagem nem usar muitos acessórios (brinco, colar, pulseira, relógio). Os homens precisam estar com a barba ou bigode bem aparados.

. Postura: mantenha uma postura adequada na hora de se sentar. Não fique esparramado na cadeira, batucando no descanso do braço nem batendo os pés no chão. As mulheres devem tomar cuidado ao se sentar de pernas cruzadas, principalmente, se estiver de saia. Na dúvida, deve-se manter as pernas juntas e com o corpo junto ao encosto da cadeira.

. Objetividade: seja direto, sem ser mal educado. Demonstre confiança e segurança no que fala. Mostre entusiasmo. Evite falar gírias, expressões e jargões comuns. Exemplos: "a nível de", "né", "aí", "brother", "irmão", "meu", "vamos supor que", etc.

. Verdade: seja sincero ao falar das suas qualidades. Não exagere ao falar de suas próprias qualificações. Não fale mal do ex-patrão.

. Gestos: tome cuidado com gestos exagerados e repetitivos, que demonstram insegurança e nervosismo.

. Detalhes: não masque chiclete em hipótese alguma. Desligue o telefone celular assim que chegar ao local da entrevista. Não fume e não aceite cigarro durante a entrevista, mesmo que o entrevistador ofereça. Não tente demonstrar intimidade excessiva com o entrevistador. Não tente dar cantada no recrutador (a).

. Importante: tenha todos os documentos em ordem (de preferência, organizados em uma pasta) e em boas condições. São eles: documento de identidade (RG), CPF, carteira de trabalho, currículo, carta de recomendação, diplomas e certificados de cursos.

. Evite: falar demais, mostrar impaciência, ignorar perguntas, contar piadas, mudar de assunto de repente, ser emotivo, desviar o olhar do entrevistador por muito tempo, franzir a testa e coçar a cabeça demais.  
4-Dinâmicas de Grupo
Escrito por Núcleo de RH

Nas brincadeiras em uma dinâmica, as pessoas deixam transparecer suas características pessoais e, portanto, é possível saber quem é empreendedor, metódico, ágil ou criativo. Também se nota, com facilidade, quem tem dificuldade em trabalhar em equipe, o que não é interessante para os dias de hoje.

Não existe o melhor ou pior candidato no desenvolvimento de dinâmicas de grupo, e sim, aquele que tem o perfil mais adequado à vaga, analisado a partir de sua participação durante a atividade. Nas dinâmicas de grupo, normalmente os candidatos enfrentam situações desafiadoras e precisam representá-las de diversas formas, como: fazer propagandas, dramatizações e se colocar publicamente. O candidato deve saber que tudo o que for feito será avaliado, e não deve se preocupar com os constrangimentos nos grupos e sim com a vaga que irá ocupar.

Dicas para dinâmicas de grupo:

. Controle sua ansiedade, manter a tranqüilidade ajuda em quase todas as situações;

. Evite falar em excesso ou impedir que os outros também participem;

. Se vista discretamente, a apresentação pessoal é muito importante. São indicadas roupas confortáveis, uma vez que a tarefa pode exigir que o participante sente-se no chão. As mulheres devem evitar os decotes e as saias justas e curtas, e os homens, o jeans. Estes devem dar preferência às camisas de manga longa. Lembre-se que para cada lugar devemos vestir um tipo de roupa;

. Seja claro e objetivo ao expor suas idéias. Caso peçam para listar suas qualidades e defeitos, faça-o de maneira equilibrada. Evite elogiar-se demais ou mentir;

. Aja com naturalidade na dinâmica de grupo, os comentários preconceituosos e as ironias não caem bem;

. Dormir bem nos dias que antecedem a dinâmica é essencial para que não se apresente aparência de cansaço ou abatimento;

. Chegar ao local marcado 15 minutos antes do horário marcado;

. Não se preocupar com os "vexames";

. Ser o mais natural possível.

Seguindo todas essas dicas você terá a certeza de que está no caminho certo para se dar bem e conseguir o emprego.

 
5-Agarre o emprego dos seus sonhos em 5 minutos
Escrito por Núcleo de RH

As mudanças culturais e organizacionais dos últimos anos revolucionaram o perfil tradicional do candidato desejado pela maioria dos empregadores, que procuram, cada vez mais, "agentes de mudança", capazes de desafiar o status quo e de procurar novas formas de actuar.

Neste momento deve estar pensando que não faz idéia de como fazer passar esta imagem em tão pouco espaço de tempo. Pois saiba como poderá garantir o seu sucesso, apresentando-se como um desejado "agente de mudança".

1º minuto
É o primeiro contato visual entre si e o entrevistador, onde são retiradas as primeiras impressões, nomeadamente sobre o seu aspecto, a sua roupa e a sua atitude.

2º minuto
É a altura de assumir as "rédeas" da entrevista. Por norma, é o tradicional empregador que o faz. Você tem três momentos ideais para consegui-lo:
. Antes de começar a entrevista - depois das apresentações, pode dizer: "Eu sei que o nosso tempo é limitado, mas, antes de começarmos a falar do meu histórico profissional, poderia esclarecer-me algumas dúvidas?"
. Depois de o entrevistador ter começado a falar - "Apreciei bastante o fato de ter feito esta apresentação. No entanto, antes de prosseguirmos, poderia esclarecer-me algumas dúvidas?"
. Depois de o entrevistador ter colocado a primeira pergunta - "Terei todo o prazer em responder, mas, antes disso, poderia esclarecer algumas dúvidas?"

3º minuto
Enquanto outros candidatos ainda estão a falar sobre eles próprios, você já conseguiu que o empregador lhe diga exatamente o que espera para o cargo que poderá vir a ocupar.
Pode colocar perguntas deste tipo:
. Quais os objetivos estratégicos da empresa?
. Quais as principais mudanças e qual será o seu impacto no departamento, ou cargo, em que eu estaria inserido?
. Quais as responsabilidades que se manterão? Terei de assumir novas responsabilidades?
. Quais as qualificações que considera mais ou menos importantes para este cargo?

4º minuto
Os candidatos convencionais ainda estão a falar dos empregos anteriores, mas você já está a aprender mais sobre os principais problemas e desafios da empresa.

5º minuto
Em vez de responder sobre o seu passado profissional, já está se posicionando como o candidato ideal para resolver os problemas e desafios da empresa. Resuma mentalmente as suas qualificações e o seu histórico e confronte-os com as informações que o entrevistador lhe transmitiu. É este o momento do golpe final: afirme com segurança que poderá satisfazer as necessidades da empresa, demonstrando que você é a pessoa ideal para o cargo.

 
6-Dicas de Internet
Escrito por Núcleo de RH

Se você costuma filmar com filmadoras digitais deve dar uma olhada no programa VideoSpin, uma ferramenta de edição de vídeo gratuita e em português, desenvolvida pela Pinnacle, um dos maiores fabricantes de software e hardware para manipulação de vídeo.

O programa traz apenas os recursos básicos, mas tem tudo para que um usuário iniciante dê os primeiros passos no mundo da edição. É possível criar seus filmes em apenas alguns minutos, utilizando recursos de clicar e arrastar. Ele permite mixar vídeos, fotos e música em um único arquivo de vídeo, adicionar legendas e efeitos de transição, além de fazer o upload de suas criações para a internet.

Para usar adequadamente o programa, você deve configurar a resolução de vídeo configurada em 1024x768. Se você utilizar resolução superior, o programa será exibido em janela, não em tela cheia. O VideoSpin trabalha com arquivos nos formatos AVI (DV AVI), MJPEG, MPEG-1, MPEG-2 (opcional); MPEG-4 (opcional); DivX (opcional) e WMV. Além disso, pode exportar também no formato Real Media. Os arquivos de áudio suportados são MPEG-1 Layer 2 e MP3, além de exportar também no formato AAC.

O programa pode ser obtido em: http://www.superdownloads.com.br/download/116/videospin/

Nota: O processo de download consiste em copiar um pequeno arquivo (aproximadamente 2 MB) que se encarregará de fazer o download dos arquivos necessários, quase 150 Mbytes.

 
7-Evite Retrabalho
Escrito por Núcleo de RH

Evite retrabalho adotando uma atitude prática e proativa.

Ansiedade, precipitação, pressupostos falsos, má comunicação, falta de pensar antecipadamente, falta de revisão e controle são, geralmente, as causas principais do retrabalho. Para eliminar este grande e frequente desperdiçador de tempo, esforços e energia, precisamos cultivar e desenvolver novas maneiras de pensar e de agir. Veja abaixo quinze dicas poderosas para evitar o retrabalho:

1. Antes de iniciar um trabalho, planeje-o. Isso diminuirá o tempo de sua execução e evitará erros e falhas. Pense em como fazer bem feito e entregá-lo sem erros já na primeira vez. Pense em como certificar- se de que o trabalho será de fato completado corretamente.

2. Lembre-se que o retrabalho (fazer duas ou mais vezes uma mesma tarefa devido a erros) é quase sempre causado por ansiedade, precipitação, pressupostos falsos, má comunicação, falta de pensar antecipadamente sobre a melhor maneira de fazer a tarefa, e falta de revisão e controle.

3. Pressuponha sempre que problemas, erros e falhas de atuação e/ou comunicação são possíveis de acontecer e que poderão ocorrer.

4. Desenvolva uma atitude preventiva. Sempre espere que haja um erro, falha, esquecimento, atraso. Procure preveni-los antes que ocorram.

5. Mantenha um registro de problemas, erros e falhas mais comuns cometidos por você ou por terceiros envolvendo você, e aprenda com estes erros, lembrando-se deles e evitando-os no futuro.

6. Mantenha checklists (listas de verificação) para servir de memória e controle ao realizar tarefas que tenham itens para lembrar e/ou verificar.

7. Crie (e use) formulários padronizados para tarefas e comunicações que você faz regularmente. Ao preencher os campos destes formulários, você poderá lembrar-se de coisas que talvez sem estes formulários não se lembraria.

8. Procure fazer seus trabalhos e entregar suas tarefas antes do prazo final (deadline) estabelecido. Se o prazo final for dia 30, por exemplo, estabeleça a entrega (data-alvo) para alguns dias antes. Assim, além de você estar prevenindo a possibilidade de atrasos e/ou necessidade de correção do trabalho, você estará se prevenindo contra o stress de trabalhos feitos em cima da hora, que aumentam a probabilidade de erros e portanto de retrabalho.

9. Certifique-se de que tudo o que você está fazendo, está sendo feito corretamente. Por exemplo, ao enviar um e-mail, certifique-se de que o destinatário realmente o recebeu. Ao transcrever dados, certifique-se de que os mesmos foram copiados corretamente. Ao escrever o nome de alguém, tenha a certeza de que o mesmo foi anotado com a grafia correta.

10. Ao comunicar-se com uma pessoa, certifique-se de que a sua mensagem foi de fato compreendida e/ou anotada corretamente. Lembre-se de que nem sempre o que você diz é de fato o que os outros estão compreendendo. Peça para a outra pessoa repetir o que entendeu ou anotou da sua mensagem.

11. Ao receber informações de terceiros, certifique-se de que aquilo que a pessoa lhe passou foi mesmo o que você compreendeu e anotou. Repita a mensagem em voz alta.

12. Sempre parta da premissa de que aquilo que a pessoa lhe informa não é tudo o que a pessoa deve ou pode lhe informar nem é tudo o que você precisa saber. Verifique o que falta e pergunte sempre mais.

13. Sempre que você estiver anotando um recado para uma outra pessoa, coloque-se no lugar dela e procure fazer perguntas que possam ajudar na transmissão da informação (o que, quem, para que, como, onde, quando, por que...)

14. Fique atento às dúvidas, duplos sentidos, e lacunas que normalmente as mensagens trazem e procure esclarecê-las.

15. Lembre-se que a causa de retrabalho são erros. Portanto, planeje antecipadamente. Preveja e previna possíveis falhas, enganos e erros. Ao executar qualquer tarefa, revise, confira, teste, reveja, averigue, certifique-se. Retrabalho é um grande desperdício. Faça certo na primeira vez.

Questões para Reflexão e Ação:

Em que áreas ou atividades eu frequentemente tenho retrabalho?

A quais pontos acima devo estar mais atento?

Que medidas preventivas posso adotar para evitar o retrabalho? Boris Drizin  
8-As 12 perguntas mais frequentes numa entrevista de emprego
Escrito por Qi

Tem uma entrevista de emprego e não sabe o que vão perguntar? Nós daremos uma ajuda para saber o que responder. Leia com atenção, treine e boa sorte!

1. Fale sobre si. Esta pergunta é quase obrigatória em uma entrevista de emprego e deverá ser muito bem praticada para uma resposta sucinta, direta e, acima de tudo, que valorize o seu perfil profissional.

2. Quais são seus objetivos em curto prazo? E em longo prazo? Seja específico e tente aproximar, de alguma forma, os seus objetivos aos da própria empresa. Respostas como "ganhar bem" ou "aposentar-se" são totalmente proibidas.

3. O que o levou a enviar o seu currículo a esta empresa? Aproveite esta deixa para demonstrar que fez o seu "trabalho de casa" e fale sobre a atividade da empresa e a forma como o posicionamento desta a torna uma empresa de elevado interesse para qualquer profissional. Naturalmente, para responder a esta pergunta, é preciso fazer previamente uma pesquisa sobre a empresa. Vá ao site institucional, faça pesquisas usando mecanismos de busca, leia revistas da especialidade e converse com pessoas que trabalham ou já trabalharam lá.

4. Qual foi a decisão mais difícil que tomou até hoje? O que é pretendido com esta questão, é que os candidatos sejam capazes de identificar uma situação em que tenham sido confrontados com um problema ou dúvida, e que tenham sido capazes de analisar alternativas e conseqüências e decidir da melhor forma.

5. O que procura num emprego? As hipóteses de resposta são várias: desenvolvimento profissional e pessoal, desafios, envolvimento, participação num projeto ou organização de sucesso, contribuição para o sucesso da sua empresa, etc.

6. Você é capaz de trabalhar sob pressão e com prazos definidos? Um "não" a esta pergunta pode destruir por completo as suas hipóteses de ser o candidato escolhido, demonstre-se capaz de trabalhar por prazos e dê exemplos de situações vividas em trabalhos anteriores.

7. Dê-nos um motivo para o escolhermos em vez dos outros candidatos. Esta é sempre das perguntas mais complicadas, mas o que se espera é que o candidato saiba "vender" o seu produto. Isto é, deverá focar-se nas suas capacidades e valorizar o seu perfil como o mais adequado para aquela função e a forma como poderá trazer benefícios e lucros para a empresa.

8. O que você faz no seu tempo livre? Seja sincero, mas, sobretudo lembre-se que os seus hobbies e ocupações demonstram não só a capacidade de gerir o seu tempo, preocupações com o seu desenvolvimento pessoal e facilidade no relacionamento interpessoal.

9. Quais são as suas maiores qualidades? Aponte aquelas características universalmente relacionadas com um bom profissional: pro atividade, empenho, responsabilidade, entusiasmo, criatividade, persistência, dedicação, iniciativa, e competência.\

10. E pontos negativos/defeitos? Naturalmente que a resposta não poderá ser muito negativa, pois serão poucas as hipóteses para um profissional que diga ser desorganizado, desmotivado ou pouco cumpridor dos seus horários. Assim, o truque é responder partindo daquilo que normalmente é considerado uma qualidade, mas agravando-o de forma a parecer um "defeito". Ou seja, exigente demais, perfeccionista, muito autocrítico, persistente demais, etc.

11. Que avaliação faz da sua última (ou atual) experiência profissional? Não se queixe e, em caso algum, critique a empresa e respectivos colaboradores. Diga sempre alguma coisa positiva, ou o ambiente de trabalho ou o produto/serviço da empresa. Se começar a apontar defeitos ao seu emprego anterior correrá o risco de o entrevistador achar que o mesmo pode acontecer no futuro relativamente aquela empresa.

12. Até hoje, quais foram às experiências profissionais que lhe deram maior satisfação? Seja qual for a sua escolha, justifique bem os motivos. Tente mencionar as mais recentes e que sejam mais adequadas aos seus objetivos profissionais.

Login

Digite seu CPF:

Digite sua Senha:

Esqueceu sua senha? Criar uma conta!

Redes Sociais

"Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus". Romanos 8:28